Vai ser dada a largada – Setembro/18

 

Para o mercado financeiro, 2018 começa agora.

Nas próximas semanas encerraremos um longo período de incerteza.

Largamos bem colocados, lado a lado na liderança. Alfa tem 6,62% no total histórico acumulado, junto com CDI 6,62%, seguido do Ibovespa 6,39%.

O Brasil deu uma volta na pista e voltou para o mesmo lugar. Nessa janela de tempo, os fundamentos deram lugar ao medo e fuga dos ativos de risco.

Nos bastidores, as empresas estão retomando lucratividade e com grande eficiência operacional. Por isso dizemos que bolsa está tão barata. Os preços não mudaram, mas as empresas e seus lucros, sim.

Utilizamos esse tempo para testar e conhecer a fundo nossas empresas em carteira. A alocação do fundo está voltada para capturar o provável rally dos próximos dias.

O investidor estrangeiro voltou nos últimos meses e começa a se posicionar, como é possível perceber no gráfico abaixo.

 

 

Isso porque para o investidor estrangeiro, comprar bolsa americana parece fazer pouco sentido. Ela está, se não cara, precificada à perfeição. A assimetria está desvantajosa: parece ter mais a cair do que a subir.

 

S&P 500 – índice composto por quinhentos ativos cotados nas bolsas de NYSE ou NASDAQ

 

E o que você faz quando tudo está caro? Simples: compre o que está barato.

Enquanto bolsa americana está na máxima história, bolsa brasileira se encontra próximo da mínima histórica. Em outras palavras, estamos precificados como um país em colapso. O que (ainda) não é verdade.

 

ETF EWZ – Ibovespa em dólares

 

Temos outro motivo para otimismo: podemos estar próximos de um novo superciclo de commodities. Historicamente o desempenho da economia e dos ativos brasileiros está correlacionado com preços dos commodities.

 

 

 

Sem pretensões de futurologia, trabalhamos com assimetrias.

Para o investidor brasileiro, a assimetria está vantajosa. Temos mais a ganhar do que a perder.

 

 

Performance acumulada dos ativos em carteira

 

Em setembro, Alfa recua -0,85%, versus 3,48% Ibovespa e 0,47% CDI.

Abrimos novas posições em Rumo Logística (RAIL3), Cristal Pigmentos (CRPG5) e Unipar Carbocloro (UNIP6).

Aumentamos posição em Lopes Imobiliária (LPBS3), Springs (SGPS3), Sanepar (SAPR11) e adicionamos calls de Petrobras (PETR4).

Neste primeiro turno a assimetria está do nosso lado, e temos mais a ganhar do que a perder. A probabilidade é dos votos em Bolsonaro, candidato favorito do mercado, surpreenderem para cima. Estatisticamente, não é descartada uma vitória já no primeiro turno.

Mas havendo segundo turno, o risco será máximo, por isso a seguinte estratégia se faz necessária.

Iremos realizar hedge (proteção) completo da carteira através da venda de índice futuro, pois trata-se de um evento de curto prazo binário. Travamos ganhos e perdas.

Dava vitória de Bolsonaro, mercados devem reagir positivamente. Assim perderemos parcialmente o rally do primeiro dia até desmontar nosso hedge.

Se houver vitória de Haddad é provável um colapso de preços no curtíssimo prazo: nosso hedge nos protegerá completamente até que a situação se normalize.

Aceleramos os motores e aguardamos a luz verde. A hora chegou.

 

Marcelo Przedzmirski

Marcelo Przedzmirski investe no mercado financeiro há mais de 10 anos e é Gestor do Fundo de Investimentos Alfa Capital. MBA em Gestão Estratégica de Empresas pela FGV e MBA em Gestão Financeira: Mercados Financeiros e de Capitais, também pela FGV.